Categoria pensamentos

porMelissa de Sá

E essa tal de inspiração? Existe?

Inspiração. O sopro da musa. E lá está o artista num canto solitário, talvez meio na penumbra, talvez num lugar isolado. Levado por uma força invisível, ele (engraçado como nessas imagens é sempre um cara) produz uma obra incrível e única em apenas uma tarde ou noite solitária.

Inspiração…

Só que não.

De desenhar a escrever um livro de 500 páginas, quem já se atreveu em qualquer arte sabe que num processo de criação acontece de tudo, menos uma revelação súbita que te dá a obra inteira já de cara. Ler mais

porMelissa de Sá

Dia do Homem??????????????

Estava eu andando no shopping quando vi isso aqui:

Dei uma pesquisada na internet e descobri que o dia do homem é hoje, 15 de julho. E descobri também que foi um dia criado há dez anos pelo ex-presidente russo Mikhail Gorbachev. Não tem data específica para o dia do homem, cada país decide a sua, e no Brasil parece que a data escolhida foi 15 de julho.

Eh… então, dia do homem. Que coisa ridícula. Sério mesmo. E digo isso porque o grande propósito de se criar dias para determinadas categorias é porque essas categorias são minorias, que precisam de um dia para serem simbolicamente lembradas, que precisam constantemente lutar pelos seus direitos. Ou você realmente achou que tinha dia da mulher, dia do índio e dia da consciência negra só porque era legal?

Homem não é minoria. Todo dia é dia do homem. Homem não precisa de um dia para lembrar suas lutas contra opressão. Homem não precisa de um dia para se lembrar que é homem. Então a data fica meio fora de propósito. Tipo um dia para lembrar que os homens têm privilégios, que ganham 20% a mais que as mulheres, que não são a principal vítima de violência doméstica e/ou sexual, que não foram oprimidos durante séculos, que não têm sua sexualidade regrada por uma cultura patriarcal, que não sofrem preconceito porque são homens.

Não, não tenho nada contra homem. Só acho que homens e mulheres devem ter os mesmos direitos e acho que isso não acontece em nossa sociedade. Também acho que criar datas como dia do homem, dia do heterossexual e dia do branco é simplesmente fazer piada com os dias da consciência das minorias. É fazer de tudo um carnaval. E bem, nada melhor do que fazer de tudo um carnaval para as pessoas simplesmente fecharem os olhos para questões importantes.

A Campanha da Boticário é ridícula e mais ridícula é a recepção da mesma por algumas pessoas aí na net. Dizer “Se a mulher tem um dia só dela, por que o homem não deve ter?” é jogar por terra toda uma história por trás do dia internacional da mulher, da luta da emancipação feminina. É tipo falar pra um gay que o heterossexual também tem que ter o dia dele porque ele precisa de liberdade pra se expressar. Hello, homens heterossexuais brancos se expressam o tempo todo!

E sim, campanhas publicitárias endossam a visão predominante. E sim, elas me assustam.

porMelissa de Sá

O que é a verdade, o que é ser mulher e o que isso tudo tem a ver com The Runaways

Então, vamos começar do começo. E esse começo vem de uma idéia antiga para um post complicado sobre essa questão básica de “O que significa ser mulher? O que é expressar feminilidade?”. É o tipo de pergunta que não tem uma resposta pronta, direta. É o tipo de coisa que a gente pode divagar, discutir, pensar junto. Acredito que não possa ser respondido. E isso só daria um post – dando continuidade ao post da Sandy – enorme . Enorme mas talvez que as pessoas não fossem achar interessante porque seria longo e meio repetitivo. O que me leva à questão da verdade, que até comecei a questionar no post sobre o Carnaval, mas que também daria uma discussão longa e repetitiva. Me veio então a idéia de outro post sobre The Runaways que também seria longo e cansativo. A solução? Juntar os três temas numa coisa só. Ler mais

porMelissa de Sá

Top 5 José Wilker na transmissão do Oscar 2011

Affe...

Para quem não sabe, José Wilker é o comentarista do Oscar na Globo. É sério. O José Wilker, o Antônio Conselheiro de Canudos, o Giovanni de Senhora do Destino. Parece piada, né? Não, piada é o que ele faz durante a transmissão da cerimônia.

Não que ele seja engraçado, ele é delirante. E o delírio já começa com o fato de que a Rede Globo, apesar de cobrar um milhão e meio de reais por cada propaganda exibida no horário de transmissão do Oscar (isso mesmo, aquela propaganda de shampoo foi um milhão e meio!), a dona Globo de televisão não passa tudo na íntegra. A transmissão começou às 23h59 (que horário meigo! rs) por conta de adivinha o quê? Big Brother Brasil 11 que já entrou na história como o pior BBB de todos os tempos dando direito até a fracassos de audiência. Mas a Globo é a Globo e adora dar tiros no pé, então o Oscar começou a ser transmitido lá pelas alturas de prêmios super chatos empolgantes como o Oscar de Melhor Curta Documentário.

Quando entrou no ar ao vivo, José Wilker já começou com bola fora, falando por cima enquanto o Randy Newman cantava We Belong Together, que acabou vencendo o Oscar de Melhor Canção. Como se não bastasse, um minuto depois soltou a pérola sobre a apresentação de Mandy Moore: “Essas músicas ficam melhor com bonecos do que com gente”. Bonecos? Quê? Como? 9384930?

A criatura que comentava ao lado dele (Maria Beltrão, obrigada google) também contribuiu para o fiasco. Puxando um saco absurdo de O Discurso do Rei, tudo pra mulher era Discurso do Rei e Discurso do Rei. Ficou chato. Mas pior foi quando ela disse “Qual seu palpite pra esse prêmio, Wilker? Quer dizer, palpite do Wilker não é palpite, mas…”. Pior: O Wilker ERROU. Vergonha alheeeeeeeia. O papo entre os dois era ridículo. Sinceramente minha conversa com meu pai e minha irmã na sala com as ocasionais ligações do namorado para comentar estavam melhores. Como assim “A Origem é um filme com muitos efeitos especiais feitos por computador”. Ah tá, porque pensei que tivessem sido feitos numa geladeira velha.

Não é de hoje que José Wilker pisa na bola com seus comentários vazios e totalmente sem propósito. “Esse é um filme com muitas explosões” (isso quando A Bússola de Ouro concorreu alguns anos atrás). Poxa, até a minha vó fala isso! Sinceramente, sinto falta de Rubens Ewald Filho, que mesmo sendo um chato, pelo menos sabia do que estava falando e falava com propriedade. O cara sabia o nome de todos os produtores e conseguia dar opiniões fundamentadas sobre os filmes e atores. Já o Wilker… bem, fica dando uma de alternativo reclamando do resultado das premiações. Pedante. E não sabe NADA! Durante a homenagem aos atores/produtores/diretores que morreram, ele não foi capaz de falar um nome. Ah, minto, ele falou da velhinha do Titanic. rs Mas pra coroar os 3 minutos de silêncio total, a criatura ainda sai com essa: “Meu amigo que fez esse vídeo me mandou um e-mail pedindo pra prestar atenção porque estaria especial”. Quê????????????? Ah, o seu “amigo” de Hollywood, né?

Como com o tempo a ladeira só desce, José Wilker presenciou os espectadores com uma teoria impressionante sobre o filme A Origem: “A Origem é um filme datilografado dirigido por um computador”. WTF?????????? E ele disse isso fazendo uma pose de cara inteligente. A mulher ao lado fingiu uma cara impressionada e pra piorar, ele repetiu essa coisa a cerimônia inteira!!!! Sério, que lixo. E o barraco vai caindo daí pra frente. Com comentários dignos de resenha rápida da net do tipo “Cisne Negro é sombrio”, “A Rede Social é moderno”, “127 Horas é uma história de um acidente”, Wilker ainda brindou os espectadores com o audio off enquanto alguma coisa rolava no palco. Ou seja, Anne Hathaway está lá falando, o intérprete também, mas o que você ouve é uma asneira do tip “Estou vendo minha adolescência”.

Sinceramente, é uma vergonha. Muitos blogueiros fariam comentários mais consistentes. Poxa, o cara nem viu os documentários, nem os curtas! E vai comentar o Oscar? Posando de bacana intelectual? Por favor. Olhem só o que o Rubens Ewald Filho falou do assunto:

– Eu nunca asssiti ao Zé no Oscar. Mas eu só tenho que agradecer ao Wilker, porque, sempre que ele apresenta, é quando eu recebo as melhores críticas. O público me põe no céu. Mas acho o Zé é uma pessoa muito inteligente e talentosa. Não sei o que acontece com ele no Oscar.

http://entretenimento.r7.com/famosos-e-tv/noticias/rubens-ewald-filho-ironiza-jose-wilker-no-oscar-20100321.html

E para finalizar, o Top 5 José Wilker:

Quinto lugar: “Estão distribuindo Oscars por aí…” [inclusive, vou lá ver se sobrou alguns… rs]

Quarto lugar: [quando Beltrão diz que o Oscar vale alguma coisa] “Vale pelo menos para escorar a porta…” [mal amado]

Terceiro lugar: “O grande vencedor da noite foi O Discurso do Rei porque os prêmios de A Origem foram, digamos, menos da inteligência” [vamos avisar isso pro pessoal que desenvolve efeitos especiais de imagem, som e fotografia, okay?]

Segundo lugar: “A Rede Social é um filme de perseguição policial sobre a solidão” (????????????)

Primeiro lugar: “A Origem é um filme datilografado dirigido por um computador” (?????????????? ao cubo)

 

É, essa é a cara que nós fizemos

porMelissa de Sá

E elegemos a primeira presidente do Brasil

Hoje quando fui eram duas horas da tarde e fazia um calor insuportável. Pra variar, eu ainda me esqueci do título de eleitor – por algum motivo a idéia ELEIÇÃO escapou da minha cabeça hoje de manhã – e tive que voltar em casa pra buscar. No entanto, quando ouvi o barulhinho TILITILIM da urna senti que tinha feito alguma coisa.

Não, não acho que o mundo vai mudar nem que o Brasil vai sair da pobreza assim de uma hora pra outra. Nunca vou me esquecer da minha professora de história da quinta série – Gilcéia, saudade! – que disse o seguinte quando Lula foi eleito: “O que as pessoas não vão entender é que quando elas se decepcionarem – porque vão – a culpa não vai ser do  Lula. Ninguém trás mudança sozinho. As coisas não vão se transformar no dia 1 de janeiro”. Nunca esqueci isso e essa idéia acabou por moldar minhas idéias a respeito de liderença e democracia.

Eu me sinto aliviada. Sério. Me sinto feliz pelo povo brasileiro não ser burro a ponto de colocar o país de novo nas mãos do PSDB. Me sinto feliz por pensar no poder do voto, por saber que nós, blogueiros, professores, estudantes, artistas, temos o mesmo valor que donos de grandes empresas e monopólios. O voto vale um. E vale um pra todo mundo. É algo tão poderoso e ao mesmo tempo tão pouco valorizado. Por que é que não pensamos no que temos nas mãos? Por que é que conseguem nos convencer de que um voto não vale nada? Por que acreditamos neles? E o mais importante: por que deixamos eles fazerem isso com a gente?

Quem são eles?

Pensa um pouquinho. Não vou estragar a surpresa.

Em seu discurso, Dilma falou da força da mulher. Não que eu ache que mulheres são melhores que homens – longe disso, sempre defendo a idéia de que somos todos iguais – mas acho significativo e importante o fato de uma mulher ter chegado à presidência em um país ainda tão arraigado em valores ultrapassados sobre superioridade de sexos. Eu acho incrível o fato de uma Dona Maria pobre do interior de Minas ter votado na Dilma. Sério. É isso que me faz acreditar que estamos melhorando.

Então parabéns, Dilma, por ter se mostrado e vencido a sujeirada.Por mostrar um caminho de honestidade. Porque pelo menos isso.

*respiro de alívio*

porMelissa de Sá

Desculpa interromper professora, mas é que eu tenho um amigo…

Quem é que nunca teve um colega de sala que levantava a mão a cada cinco segundos para dar um maravilhoso exemplo de cinco minutos? Ou já não viu alguém que teve a brilhante idéia de fazer um resumo sobre o que a professora acabou de dizer? Quem nunca conheceu uma criatura que desconhece a falta de bom senso e responde todas as perguntas que o professor faz, inclusive as retóricas?

Esses seres podem ser divididos em três grandes grupos:

Mamãe-diz-que-sou-foda: Esse tipinho não tem o que fazer em casa, então sempre lê os textos, até os suplementares, e fica posando de caxias durante a aula fazendo perguntas difíceis para o professor só para mostrar que é inteligente. Se você tem uma criatura dessas na sua sala, então provavelmente a sua aula é um diálogo eterno entre o professor e esse infeliz. É importante lembrar que esse diálogo não tem necessariamente que fazer conexão com a matéria.

Joãzinho: O Joãozinho quer entender tudo, e por tudo, tudo mesmo. Ele quer os mínimos detalhes. Ele quer escanear tudo. Ele faz até perguntas de vocabulário! Se o professor citou alguma coisa que ele nunca ouviu falar, ai ai ai, cuidado porque Joãozinho vai levantar a mão e perguntar e o professor vai ficar horas e horas explicando. Joãozinho também tem uma tendência a contar histórias pessoais e fazer associações com personagens de novela e primos de segundo grau.

Joselito: Como sempre, presente em todas as categorias. Joselito é aquele cara que está numa aula de Literatura Inglesa do Século XX e começa a falar do ecologismo facista de Avatar. (????) É alguém tão gênio que consegue associar Beatles com Edgar Allan Poe! Joselito também já leu o resumo de vários livros do Nietzche (how do you spell it, for God´s sake!), resenhas de filmes iranianos e comentários dos livros do Paulo Coelho.

%d blogueiros gostam disto: