Resenha de Livro: Clube dos Herdeiros

porMelissa de Sá

Resenha de Livro: Clube dos Herdeiros

Uma das leituras mais gostosas que tive esse ano. Clube dos Herdeiros é leve sem ser bobo, romântico sem ser chato, jovem sem ser inocente. Devorei tudo em dois dias.

Manoela e Helena são amigas inseparáveis desde a infância. As duas fazem parte da nata da sociedade do Rio de Janeiro, mas se envolvem em intrigas com namoros, trabalho e família, como todo mundo. Clube dos Herdeiros vai ter muito glamour, festa cara e bolsa de grife, mas abra um lugar no seu coração e se apaixone por esses personagens.

Eu já sabia que ia gostar de Clube dos Herdeiros. Isso porque a escrita da Fabiana Madruga é viciante. Confesso que esse livro é um YA totalmente fora da minha zona de conforto, um Gossip Girl do Rio de Janeiro, mas com personagens tão reais e incríveis que não tem como não gostar e se envolver. Prova que preconceito literário é uma bobagem: o que importa mesmo é o modo como a história é contada. Tem marca de roupa no livro que eu nem sabia que existia, mas e daí?

A história começa com um encontro: Manoela conhece Pedro num show. Mas Pedro não é um riquinho da zona sul como os caras com que Manoela se envolve, ele anda de ônibus e não entende nada de grifes. Cliché? Sim, mas é um cliché bem feito, que foi me surpreendendo ao longo do livro. Ao contrário do dramalhão que acontece em séries como Gossip Girl, Clube dos Herdeiros é mais dinâmico.

Manoela quer ficar com Pedro, mas o que começa como um conto de fadas, vai desandando. Problemas na família, problemas com amigos. Essas coisas da vida que desgastam relacionamentos. A questão é que Pedro acaba mergulhando nesse mundo de gente que compra sorvete por R$32 e fica muito próximo de Helena, a melhor amiga de Manoela.

Helena se tornou minha personagem favorita no livro inteiro. Foi ela quem mais me surpreendeu e foi por ela que torci sempre. Inclusive achei interessante como a autora trabalhou os vários relacionamentos da personagem não cercando apenas em Pedro e no namorado problemático (bota problemático nisso rs), mas também no irmão, na madrinha e principalmente na mãe (nossa, muito tensa essa parte, mas também muito verdadeira). É sempre bom ver personagens femininas que têm várias preocupações na vida e cujo objetivo não seja apenas arrumar a vida amorosa (sim, o livro é um romance, mas não significa que a protagonista tem que querer isso).

Manoela é a amiga descolada, que vive a vida sem preocupações, afinal, é cheia da grana. Helena é a amiga mais certinha, mais preocupada com as coisas. Elas parecem estereótipos, mas o livro as trata de um modo muito real. Todo mundo tem várias facetas na vida e as duas também. Como leitora, fiquei feliz em ir descobrindo algumas delas ao longo do livro e conhecendo um pouquinho mais do Rio de Janeiro. Inclusive, não me incomodei com as referências locais. Na verdade, consegui pegar as piadinhas pelo contexto e fiquei com vontade de visitar a cidade!

Leitura mais que recomendada para quem gosta do gênero. Ah, e nesse fim de semana vou levar meu exemplar para ser autografado pela talentosíssima Fabiana Madruga lá na Bienal do Livro. 🙂 Se você estiver passando por lá, não deixe de visitar o estande da Editora Draco (no Pavilhão Verde), comprar o seu exemplar com um super desconto e de quebra conhecer a Fabiana.

Onde comprar?

Impresso: Amazon | Cultura

E-book: Amazon | Apple | Kobo| Google | Saraiva | Cultura

Sobre o Autor

Melissa de Sá administrator

Melissa é escritora e fica hiperativa com açúcar. É autora da distopia Metrópole: Despertar, publicada pela Editora Draco em 2016, e do livro infantil A Última Tourada, adotado em centenas de escolas no Brasil. Tem contos publicados em diversas antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: