Discografia e História: The Runaways PARTE 7: O Fim

porMelissa de Sá

Discografia e História: The Runaways PARTE 7: O Fim

É fim do ano e agora cumpro minha promessa de falar do fim das Runaways. Nossa última parada foi no ano de 1978, quando Vicki Blue saiu da banda. O clima criado pelo produtor John Alcock era de tensão e muitas drogas. Para acompanhar os posts anteriores e saber da história das Runaways, clique aqui. Essa série de posts é parte do projeto Born to Be a Runaways Fan.

Joan Jett sempre afirmou que o fim das Runaways se deu por motivos de diferenças musicais. Talvez, no fundo, ela tivesse razão. Joan queria tocar glam/punk, Sandy e Lita queriam hard rock. Isso levou ao fim da banda. Mas a equação não era tão simples assim.

Joan e Lita durante a última turnê.

O que Joan nunca comenta é que essas diferenças eram alimentadas por Alcock, um homem afundado em drogas, obcecado por Sandy West. A produção tumultuada de And Now… The Runaways! levou à saída de Vicki Blue. A má gestão de Alcock é apontada frequentemente como o principal fator que levou ao fim da banda. Kim Fowley também jogava com egos, mas o problema de Alcock é que ele não sabia administrar o que tinha em mãos e também não trazia benefícios artísticos para a banda. And Now The Runaways não teve expressão alguma nos EUA e as Runaways caíram na obscuridade.

No entanto, o fim ainda não chegara. Para os próximos shows era necessário encontrar uma nova baixista e o nome que apareceu foi Laurie McAllister.

Novos ares

Não há muita informação sobre a entrada de Laurie McAllister. O filme Edgeplay sequer comenta que isso aconteceu. Mas Laurie chegou a fazer fotos promocionais com a banda e apareceu nas gravações oficiais de dois vídeos das Runaways.

Laurie McAllister à direita, ao lado de Joan Jett.

Laurie tinha tocado com a banda Baby Roulette and the Rave Ons, que tinha aparecido numa coletânea editada por ninguém menos que Kim Fowley (Vampires From Outer Space). Morena e de franja e com bastante expressão de palco, Laurie era um contra-ponto interessante à tímida Vicki Blue.

O visual da banda também mudou, o que se nota nas últimas fotos e vídeos promocionais. Joan Jett não está com sua até então emblemática jaqueta de couro e Lita também deixou de lado os macacões coladinhos. O look é definitivamente mais colorido, com mais acessórios. Um sinal de que a década de 70 já estava acabando e os anos 80 já estavam à porta.

Os últimos shows

A pequena última turnê durou dois meses e levou as Runaways de volta pra Califórnia (com apenas um show em Londres e outro em Nova York). Em uma entrevista, Joan Jett diz que todas fizeram uma promessa de segurar a banda até o fim do ano e foi exatamente isso que aconteceu.

De acordo com todas as membros da banda, o clima era insustentável. Sandy diz que Alcock as encorajou a buscar o fim das Runaways com a promessa de que faria uma banda com Lita e Sandy. Já Lita diz que o fim foi algo natural, que não havia nada mais a ser feito. Segundo a guitarrista em Edgeplay, foram cinco anos juntas como banda e elas já tinham feito o bastante.

Oficial

A banda encerrou seu contrato oficialmente em abril de 1979. Nessa altura, Laurie McAllister já tinha deixado a banda em janeiro. Há quem diga que a baixista tenha sido apenas um backup para uma turnê rápida e não um membro oficial. No entanto, Laurie é frequentemente mencionada como baixista das Runaways.

De acordo com o arquivo oficial dos shows das Runaways, o último show da banda foi em 31 de dezembro de 1978, em Cow Palace na Califórnia. Isso já faz uns 36 anos, mas cá estamos nós falando nessa banda que quebrou várias barreiras na história do rock.

E depois?

Sandy West nunca superou o fim da banda e, segundo a mãe, tinha um poster dos tempos áureos das Runaways em cima da cama. Se afundou em drogas (junto com Alcock) e depressão, cometeu vários crimes e foi presa algumas vezes. Nos anos 90, teve a The Sandy West Band, mas nunca teve sucesso. Morreu de câncer de pulmão em 2006.

Joan Jett formou a Joan Jett & the Blackhearts no ano seguinte ao fim das Runaways. Alcançou o sucesso na década de 80 e em 2014 sua banda passou a fazer parte do Rock and Roll Hall of Fame. Joan também integra a lista de 100 Melhores Guitarrista de Todos os Tempos da Rolling Stone. Foi produtora do filme The Runaways.

Lita Ford fez carreira solo nos anos 80 e alcançou relativo sucesso, tendo recebido a alcunha de rainha do metal. Casada com um milionário durante alguns anos, deixou a carreira musical num hiato nos anos 90, mas voltou recentemente com novos álbuns e a promessa de uma turnê.

Cherie Currie investiu na carreira de atriz, mas por conta de seu abuso de drogas, não conseguiu sucesso apesar de ter feito alguns filmes. Gravou um álbum solo depois de sua saída das Runaways e depois um dueto com sua irmã, Marie Currie. Nenhum deles teve repercussão. Cherie é uma artista renomada de escultura com serra elétrica e faz aparições em shows como vocalista convidada.

Jackie Fox é advogada e fotógrafa amadora. Administra a página Jackie Fox no Facebook, onde conta histórias de sua época como baixista das Runaways.

Vicki Blue seguiu carreira na produção de filmes e programas de TV. Fez um documentário sobre as Runaways, Edgeplay, e outro sobre Suzi Quatro, Naked Under Leather. Também é fotógrafa amadora.

Micki Steele se juntou à banda só de garotas The Bangles como baixista e fez sucesso nos anos 80.

Laurie McAllister: integrou a banda só de garotas The Orchids, produzida por Kim Fowley, nos anos 80. Mas ela se aposentou da indústria da música anos depois e foi trabalhar como técnica em veterinária. Morreu por conta de complicações de um ataque de asma em 2011.

Um álbum chamado Flaming Schoolgirls foi lançado em 1980 com as sobras de estúdio de Queens of Noise e Live in Japan. No entanto, Jackie Fox afirma que as faixas foram roubadas e editadas por uma gravadora fantasma. Nenhuma Runaway recebeu direitos autorais pelo material.

.

.

Eu agradeço imensamente todos pela paciência ao longo desses anos. Escrever esses posts demandou muita pesquisa e tempo, mas vocês sempre tiveram paciência para esperar. Eu sempre achei que qualidade era melhor que quantidade e tenho orgulho de dizer que esses posts são a fonte sobre as Runaways mais confiável em língua portuguesa, tendo sido utilizada até mesmo em uma monografia acadêmica.

Espero que vocês tenham curtido essa viagem no tempo tanto quanto eu e que continuem ouvindo essa banda tão singular. The Runaways live.

Sobre o Autor

Melissa de Sá administrator

Melissa é escritora e fica hiperativa com açúcar. É autora da distopia Metrópole: Despertar, publicada pela Editora Draco em 2016, e do livro infantil A Última Tourada, adotado em centenas de escolas no Brasil. Tem contos publicados em diversas antologias das editoras Draco, Buriti e Cata-vento.

6 Comentários até agora

Ernesto RibeiroPostado em12:29 am - dez 31, 2014

ENFIM! PARABÉNS e MUITO OBRIGADO por esse épico histórico / literário.

Só pra acrescentar:

As Runaways se esfacelaram diante das câmeras e a morte da banda foi registrada no filme “Mama Weer All Crazee Now”.

O caso filme “The Runaways” foi produzido por Joan Jett — que BOICOTOU o documentário “Edgeplay” — que foi produzido por Jackie Fox e Vicky Blue — que BOICOTARAM o outro filme como vingança, gerando um processo judicial movido por JJ contra Jackie Fox — aliás, a advogada de artistas Jacqueline Füchs — que venceu nos tribunais facilmente, é claro.

    Melissa de SáPostado em12:32 am - jan 24, 2015

    Oi Ernesto! Como sempre, é muito bom ver você por aqui!

    Sim, tem esse caso do filme nunca lançado “Mama Weer All Crazee Now”. Inclusive, alguns trechos dele estavam flutuando no youtube até um tempo atrás, mas acho que tiraram.

    Sobre a briga de THE RUNAWAYS X EDGEPLAY: acho que quem saiu perdendo foi mesmo JJ. Isso porque The Runaways poderia ter sido um filme muito, mas muito melhor. Tem ótimas atrizes, um roteiro sustentável… mas uma produção estranha que deixou o filme com mais cara de ficção do que fato.

FranciscoPostado em4:46 am - jan 11, 2015

Ver esse post me deu um pouco de tristeza. Eu como fã do rock dos 80’s, acharia muito legal ter álbuns oitentistas das The Runaways. Mas as carreiras de Joan e Lita renderam ótimas músicas. É uma pena que as outras integrantes não tiveram a mesma sorte. É bom saber também que a maioria de bandas femininas são influências pelas The Runaways.
Vamos acreditar que no futuro aconteça uma reunião com as que estão viva? Não custa nada sonhar. 🙂

Enfim, Feliz 2015 e esses posts serão sempre uma boa opção para recordar bons tempos!!!

    Melissa de SáPostado em12:29 am - jan 24, 2015

    Francisco, eu também teria adorado umas músicas dos anos oitenta com Runaways!

    O problema da reunião das Runaways infelizmente tem nome, Joan Jett: ela nunca quis se reunir. 🙁 E agora com a morte de Sandy, bem, eu acho bem difícil que isso aconteça.

    Obrigada pelo comentário e pelo apoio!

Rebeca BarrosPostado em6:54 am - fev 8, 2015

Parabéns pela dedicação. Descobri o blog hoje e logo adentrei na história da banda e li toda a sequência de postagem e depois percebi quanto tempo você levou pra finalizar e entendo que não seria diferente pois tudo foi bem detalhado e exposto de uma maneira muito legal de ler.

Lendo aqui e tendo visto o filme, do qual a Joan também estava na produção, fica difícil entender porque o filme parece mais um romance entra ela e Cherie do que uma biografia da banda, mas acho que você já meio q tirou minha dúvida com um comentário acima. As demais integrantes da banda não liberaram direitos pra falar sobre elas ou algo assim?

    Melissa de SáPostado em2:58 am - fev 23, 2015

    Rebeca, muito obrigada pelo seu comentário!

    Sim, demorou bastante tempo para fazer os posts, mas me sinto feliz com o resultado. Pelo menos fico com a consciência limpa de que fiz com calma um trabalho de mais qualidade.

    Quanto ao filme The Runaways: a única integrante que não liberou os direitos foi Jackie Fox. Por conta disso, ela sequer é mencionada no filme. As outras liberaram, mas acabaram não sendo bem representadas porque o filme focou em Joan e Cherie.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: